Confira abaixo os principais acontecimentos que mexeram com o mercado de soja durante a semana do dia 29 de janeiro a 2 de fevereiro de 2024.

As cotações da soja na Bolsa de Chicago registraram forte queda na semana passada. Com exceção do contrato de julho de 2024, todas as demais posições encerraram a semana cotadas abaixo dos USD 12,00 por bushel, nível que não era observado, para a primeira posição em aberto, desde novembro de 2021.

Apesar da recente preocupação com as condições climáticas na safra argentina, que sofreu com o calor excessivo e poucas chuvas nas últimas semanas, as previsões apontam para o retorno de boas precipitações na segunda metade dessa semana. Aliado ao clima na Argentina, a baixa comercialização no Brasil e a fraca demanda chinesa tem prevalecido e pressionado os preços internacionais.

O lado macroeconômico também teve seu peso. Na quinta-feira (01), o FED manteve os juros e sinalizou que não deverá cortar os juros norte-americanos tão cedo. Na sexta-feira (02), os dados de emprego nos EUA vieram mais fortes do que o esperado. Ambos são fatores que fortalecem o dólar perante as moedas globais e isso é baixista para commodities no geral.

No cenário doméstico, embora o câmbio tenha proporcionado algum suporte aos preços, a comercialização permaneceu em um ritmo lento.

Veja mais com o Agrovip, o resumo semanal da Agroconsult.

soja