Confira abaixo os principais acontecimentos que mexeram com o mercado de soja durante a semana do dia 13 a 17 de maio de 2024.

E a semana passada foi mais uma semana de oscilação nos preços na Bolsa de Chicago.

Explicando primeiro o lado baixista, de acordo com dados do NOPA, o esmagamento de abril nos Estados Unidos foi fraco, totalizando 4,5 milhões de toneladas. Isso representa uma queda de 4,2% em relação ao ano anterior e está muito abaixo do número que o mercado esperava. Além disso, as vendas semanais para exportação também foram baixas.

Pelo lado altista, uma série de fatores deram suporte aos preços na CME:

  • atraso no plantio da soja nos Estados Unidos;
  • As perspectivas de clima menos favorável para a rápida evolução do plantio no país norte-americano;
  • redução na estimativa de produção argentina em 500 mil toneladas pela Bolsa de Cereales de Buenos Aires e totalizando 50,5 milhões de toneladas;
  • As perdas causadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, que continuam preocupando o mercado.

Na sexta-feira (17), os futuros fecharam de forma mista, com ligeiro aumento nos primeiros vencimentos e queda nas posições mais longas. 

Os preços domésticos também oscilaram e a comercialização de soja avançou, aproveitando os momentos de alta.

Veja mais com o Agrovip, o resumo semanal da Agroconsult.

Soja