Confira abaixo os principais acontecimentos que mexeram com o mercado de milho durante a semana do dia 27 a 31 de maio de 2024.

As cotações internacionais de milho tiveram forte queda na semana passada, devolvendo todos os ganhos do mês. Elas foram puxadas pela boa evolução da safra 24/25 nos Estados Unidos e pela fraca demanda pelo cereal. A queda dos preços do trigo e do petróleo também contribuíram para o pior desempenho do milho na semana.

O clima nos EUA vem se comportando de forma favorável nas últimas semanas, beneficiando tanto o plantio quanto o desenvolvimento das lavouras já implantadas. Além disso, as previsões para os próximos 7 a 10 dias são de um clima ainda favorável, o que pressiona os preços na CME.

No Brasil, em uma semana mais curta em função do feriado, os negócios foram mais lentos, com preços mais baixos e acompanhando o movimento externo. Já a colheita começa a ganhar ritmo e já apresenta a maior evolução da série histórica para esse período, conforme informado no último relatório de Acompanhamento de Safra da Agroconsult, enviado na quarta-feira (29).

Em compensação, se no Brasil a colheita ganho ritmo, na Argentina, a retirada do milho do campo segue a passos lentos. Na semana, a evolução foi de apenas 1,9 p.p., chegando a 30,1% da área colhida, segundo a Bolsa de Cereales de Buenos Aires.

Veja mais com o Agrovip, o resumo semanal da Agroconsult.

milho